Encadernação Artística

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Educação em Rede

Educação em Rede é um conceito do professor Márcio, me despertou a atenção - só não se educa quem não quer. Qualquer ambiente é um bom ambiente escolar - a própria escola, as bibliotecas, a web e até mesmo  nossa mesa no mercado público de Floripa. 
Descobri a pedra angular no Recife um curso de restauração e conservação de papel a distância, que maravilha! Vamos ao conteúdo, lembrando sempre caro neófito, que no início era o caos, quanto menos mexer, interferir no suporte melhor. Lembre-se também que o seu ingresso na loja será sempre supervisionado por um irmão mais velho, ouça a vós da experiência, se ela não tiver próximo procure. 

banner CICRAD 2011


CICRAD - Curso de Introdução à Conservação e Restauro de Acervos Documentais (foco em papel) é um curso de nível pós-médio para profissionais de várias áreas, como bibliotecários, restauradores, técnicos em museologia, museólogos, arquivistas/técnicos em arquivo, historiadores, artistas, arquitetos, cientistas da informação, estudantes e profissionais das ciências humanas, e também para estudantes e o público em geral interessado.
CICRAD também funciona como um curso introdutório de nível pós-médio para os jovens que tenham aspirações de entrar na área de conservação e restauração de bens em papel.

CICRAD - Curso de Introdução à Conservação e Restauro de Acervos Documentais (foco em papel) é um curso de nível pós-médio para profissionais de várias áreas, como bibliotecários, restauradores, técnicos em museologia, museólogos, arquivistas/técnicos em arquivo, historiadores, artistas, arquitetos, cientistas da informação, estudantes e profissionais das ciências humanas, e também para estudantes e o públicoem geral interessado.
CICRAD também funciona como um curso introdutório de nível pós-médio para os jovens que tenham aspirações de entrar na área de conservação e restauração de bens em papel.
Nota: o material do curso não é de forma alguma definitivo ou completo. Ele é parte da formação introdutória de profissionais e interessados, que necessitarão de anos de prática para poderem se considerar conservadores ou restauradores.
Exemplos de aulas do CICRAD estão abaixo, acompanhadas pelos seus anexos, para que as leituras complementares sejam as mais completas e eficientes possíveis. O usuário notará que muito material complementar têm os seus links disponíveis nos textos. Para acessá-los, será necessária uma conexão à Internet. Dentro do conteúdo das aulas, um link deve ser copiado e colado no navegador de uso normal do aluno. Para facilitar os estudos, a maioria dos anexos abaixo já disponibilizam, em PDF, os materiais que o aluno encontrará também na Internet.
Sugerimos que em seu computador você crie uma pasta para o CICRAD e dentro dela, crie pastas para cada uma das aulas do curso e seus respectivos anexos, de forma que todo o material de um módulo estará disponível durante os seus estudos.
O material das aulas e seus anexos é acompanhado dos exercícios para nota, que estão na região protegida do curso. Você receberá um "Nome de Usuário" e uma "Senha" para entrar na região protegida do CICRAD após a aceitação da sua matrícula . É neste ambiente educacional que ficam os testes, o forum de discussão e é onde se dará a orientação do artigo científico individual, que é parte fundamental da certificação no CICRAD.

Conteúdo programático e exemplos das aulas em PDF
M01A01 - MÓDULO 01 AULA 01 - Patrimônio - Conceito
M01A02 - MÓDULO 01 AULA 02 - Patrimônio - Tombamento
M01A03 - MÓDULO 01 AULA 03 - Patrimônio e Memória
M02A01 - MÓDULO 02 AULA 01 - Cartas Patrimoniais - [AULA | 98KB] - [ANEXO | 157KB] - [ANEXO | 178KB]
M02A02 - MÓDULO 02 AULA 02 - Cartas Patrimoniais
M03A01 - MÓDULO 03 AULA 01 - Características dos Acervos
M03A02 - MÓDULO 03 AULA 02 - Tipos de Papel e suas Características
M04A01 - MÓDULO 04 AULA 01 - História do Papel
M04A02- MÓDULO 04 AULA 02 - Tipos de Papel e suas Características
M05A01 - MÓDULO 05 AULA 01 - História do Livro
M06A01 - MÓDULO 06 AULA 01 - Climatologia, Prevenção e Conservação de Acervos - [AULA | 105KB] - [ANEXO | 1.06MB] - [ANEXO | 2.12MB] - [ANEXO | 729KB] - [ANEXO | 225KB] - [ANEXO | 205KB]
M06A02 - MÓDULO 06 AULA 02 - Climatologia, Prevenção e Conservação de Acervos
M07A01 - MÓDULO 07 AULA 01 - Intervenções Emergenciais em Acervos e Coleções - [AULA | 145KB] - [ANEXO | 248KB] - [ANEXO | 174KB] - [ANEXO | 158KB] - [ANEXO | 238KB] - [ANEXO | 241KB]
M07A02 - MÓDULO 07 AULA 02 - Intervenções Emergenciais em Acervos e Coleções - [AULA | 108KB]
M08A01 - MÓDULO 08 AULA 01 - Técnicas de Arquivamento de Acervo Documental - Digitalização
M09A01 - MÓDULO 09 AULA 01 - Procedimentos para a Recepção de uma Obra
M10A01 - MÓDULO 10 AULA 01 - Conhecimento dos Instrumentos do Laboratório
M11A01 - MÓDULO 11 AULA 01 - Congelamento, Limpeza e Hogienização da Obra
M11A02 MÓDULO 11 AULA 02 - Desmonte e Preparação de Banhos Químicos
M12A01 - MÓDULO 12 AULA 01 - Preparação de Polpa de Papel - Obturação e Velatura Manuais
M12A02 - MÓDULO 12 AULA 02 - Manufatura de Folha de Papel Artesanal
M13A01 - MÓDULO 13 AULA 01 - Encadernação - CICRAD 2011
M13A02 - MÓDULO 13 AULA 02 - Encadernação Prática - [AULA | 663KB]
M14A01 - MÓDULO 14 AULA 01 - O Artigo Científico - [AULA | 106KB] - [ANEXO | 2.45MB] - [ANEXO | 1.2MB] - [ANEXO | 49KB]
M15A01 - MÓDULO 15 AULA 01 - Revisão - CICRAD



Endereço na web - 
http://www.restaurabr.org/

Endereço para correspondências:
Rua Antônio Vitrúvio, 71, Poço da Panela, Recife, PE, Brasil    CEP 52061-210
Telefone: (81) 3495-5878
E-mail: 
cicrad2011@gmail.com

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Encadernação de Documentos - Memória Compartilhada.

A encadernação de documentos restaurados é sempre um desafio. Estes documentos pertencem ao fundo do Arquivo Público do Estado de Santa Catarina, são os registro das correspondências do Presidente da Província de 1856 e correspondências do Presidente  com as Colônias.

Os documentos oficiais nos primórdios foram encadernados em sua maioria pelos apenados, na década de 80 até o ano 2004 aproximadamente por Nilson José de Souza, e a partir de 2010 pelo meu atelier.

Ficha Técnica.
- Manuscritos do século XIX.
- Restaurados - Pela equipe do laboratório de conservação e restauro do Arquivo Público.
- Fotografia - Paulo Roberto Witoslawisk.

Este post é dedicado a memoria do encadernador Nilson José de Souza que por mais de 25 anos laboriosamente encadernou toda a coleção dos documentos do Arquivo. Nilson, deixou uma nova geração de encadernadores, nunca guardou "os segredinhos", tímido, discreto e generoso, Nilson foi um mestre na sua arte.

Encadernados

costurado

capa antiga - encadernação original feita pelos apenados.

Pronto para servir a sociedade

Encadernação atual seguindo o padrão do Arquivo

Uma beleza de caligrafia

Uma beleza de caligrafia


domingo, 24 de julho de 2011

Compras Coletivas

O preço médio de uma encadernação de monografia adotado pela UFSC custa em média R$ 32,00. É caro principalmente quando se recém formado e se acorda para a dura realidade do mercado de trabalho. Desde o início da criação a vida é uma corrida. Quando zigoto começamos a compartilhar. Então com essa onda de, compras coletivas, corrida e compartilhar resolvi brincar um pouco com esses conceitos. Reúna sua turma e participe.
Preço praticado pelo mercado -  R$ 32,00 por volume.
Minha oferta -                             R$ 12,00 por volume

Manual de Encadernação e Pequenos Reparos.

Ouvindo Amy - Love is a lost game - lendo sobre estrella del mudejar, aproveitando a tristeza para por a leitura em dia.

Este Manual é simples, prático. Para quem precisa de uma apostila básica. É só baixar.

Link - http://www.arqsp.org.br/cpba/pdf_cadtec/13.pdf



13 - Manual de pequenos reparos em livros - Robert J. Milevski
Download do Caderno 1 a 9MILEVSKI, Robert J. Manual de pequenos reparos em livros. Coord. Ingrid Beck; trad. de Lygia Maria Guimarães [e] Angela Maria Machado Osório de Araújo. Rio de Janeiro : Projeto Conservação Preventiva em Bibliotecas e Arquivos : Arquivo Nacional, 1997. 43 p. : il. (n. 13: conservação)
presente manual, de número 13, apresenta a estrutura do livro, objetivando a indicação de soluções dos danos mais comuns em coleções de bibliotecas. Descreve os processos de reparos em livros, relacionando os materiais necessários, as técnicas e os procedimentos inerentes. As instruções são didaticamente ilustradas com desenhos e apresentadas passo a passo, de maneira seqüencial e numerada. Orienta técnicas simples para a substituição de lombadas ou inserção de folhas em volumes encadernados. Apresenta uma proposta de glossário para padronização de termos utilizados em publicações sobre encadernação, pequenos reparos e conservação de livros.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Ler para esquecer

Fiat lux, adoro estas horas vagas  na rede, surfo na rede. Entre o ato contínuo - vagas e  redes, me vejo diante da poesia de Ribeiro Couto.
Leia mais em: http://www.revista.agulha.nom.br/rib.html#inicio

Ribeiro Couto
http://www.casaruibarbosa.gov.br/dados/DOC/literatura/ribeiro_couto/arquivosliterarios_ribeiro_couto.htm

Ilha distante


Ilha de melancolia,
Sem portos e sem cidades —
Só praias de areia fria
E coqueiros com saudades;

 
Praias de uma areia morta,
Conchas que ninguém apanha,
Coqueiros que o vento corta,
Brandido por mão estranha;

 
Morta já à flor da onda
A espuma a sumir na areia;
Nenhuma voz que responda
Aos ais que o vento semeia;

 
Ilha deserta, deserta,
Nem sequer junto a outra ilha;
E à noite uma luz incerta
Que não se sabe onde brilha;

 
Ilha de um só habitante,
Com seu mar fora do mundo,
Mar que na maré vazante
Cava cem braças de fundo —

 
Ainda hás de ser a alegria
De um vaporzinho cargueiro
Que a ti chegará um dia
Perdido no nevoeiro.


Publicado no livro Entre Mar e Rio: poesia (1952). Poema integrante da série Litoral Bravio.
In: COUTO, Ribeiro. Poesias reunidas. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1960. p.422
  

Rui Ribeiro Couto - Chuva

Rui Ribeiro Couto - para combinar com a nossa deliciosa Lestada...


Chuva
A chuva fina molha a paisagem lá fora.
O dia está cinzento e longo... Um longo dia!
Tem-se a vaga impressão de que o dia demora...
E a chuva fina continua, fina e fria,
Continua a cair pela tarde, lá fora.
Da saleta fechada em que estamos os dois,
Vê-se, pela vidraça, a paisagem cinzenta:
A chuva fina continua, fina e lenta...
E nós dois em silêncio, um silêncio que aumenta
se um de nós vai falar e recua depois.
Dentro de nós existe uma tarde mais fria...
Ah! Para que falar? Como é suave, branda,
O tormento de adivinhar - quem o faria? -
As palavras que estão dentro de nós chorando...
Somos como os rosais que, sob a chuva fria,
Estão lá fora no jardim se desfolhando.
Chove dentro de nós... Chove melancolia...

domingo, 17 de julho de 2011

Associação des Amigos do Arquivo Público de Santa Catarina.

No número da e-concervation magazine.
Lendo o editorial da revista assinado por seu diretor executivo Rui Bordalo, fico pensando por que deixar extinguir a Associação dos Amigos do Arquivo Público de Santa Catarina? Por que ficar omissa diante de uma tragédia? 
Esse editorial traduzido a machado, porém é claro. A mensagem nos faz refletir sobre a vida, se existem centenas de ONGS que protegem desde o mosquito da dengue por que não começar também a organizar uma ong que defenda o direito a existência da AAAPSC, ao invés de matá-la. Quem fez parte da AAAPSC sabe que é uma associação de interesse público que desenvolveu ações de educação,  promoveu a conservação do patrimônio público, é uma referência. Perdê-la assim no más e assumir um profundo desprezo por si próprio, é dizer para a sociedade catarinense que todo o trabalho que foi realizado desde 1984, não foi válido.

http://www.e-conservationline.com
Vamos ao texto.

EDITORIAL132Julho 2011
 
A Dignidade da Associação

A maioria de nós somos membros de pelo menos uma associação profissional.Existem várias razões pelas quais nós escolhemos para ser parte de uma. Podemos buscar o reconhecimento profissional e prestígio por pertencer a uma organização respeitável. Podemos estar interessados ​​em benefícios tais como informações a socialização e educação. Taxas de adesão são uma pedra fundamental para as associações, mas na verdade, elas não existem para nos servir, porque nós pagamos. Elas existem para proteger os interesses comuns e nossos membros ajuda e que lhes permite fazer isso. As taxas que pagamos pode ser visto como um investimento que traz resultados a curto e longo prazo. No curto prazo, nós nos beneficiamos de seus descontos e publicações gratuitas, participar de seus eventos, etc, e enquanto a maioria dos membros são atraídos por estas drawcards, é a benefícios a longo prazo que realmente importam para a profissão. Na verdade, o que as associações fazem por nós é para nos trazer o reconhecimento pelos órgãos governamentais e da sociedade em geral, para ajudar na aprovação de leis nacionais que protegem a nossa profissão o património cultural, estabelecer critérios para acesso à profissão, para elaborar as normas a nível nacional e níveis internacionais que representam os nossos interesses e não os de profissionais associados, tais como arquitetos ou construtores, por exemplo.
Mas não vamos confundir as associações de profissionais com as associações de profissionais ". Por padrão, as associações de profissionais conservadores-restauradores desenvolvem o seu trabalho de forma voluntária, pois o número de membros em cada região ou país geralmente não podem permitir a manutenção de empregados em tempo integral. Por isso, e apesar dos esforços afiado, o trabalho vai ser lento e os resultados levam tempo para  acontecer. Ainda assim, estes esforços têm um papel muito importante na defesa da nossa profissão e até mesmo em sua própria definição.
O pior que podemos fazer é ficar em silêncio, ser invisível. Ninguém se importa com nós quando eles lá fora não sabem que existimos. Se somos invisíveis, nós não importamos. Isso é especialmente o caso no que diz respeito aos formuladores de políticas do governo, é preciso que eles saibam que estamos aqui, que importa e que eles têm para agir nos levando em conta. Para esse efeito, precisamos de uma voz, e as associações são a voz.
Por exemplo, a Espanha tem vários programas de formação em conservação-restauração: seis Escuelas Superiores fornecendo licenciatura equivalente graus e cinco universidades fornecendo tanto bacharelado e mestrado. No entanto, uma recente lei foi aprovada pelo governo central em que apenas a formação de Escuelas é oficialmente reconhecida, relegando os níveis de mestrado e doutorado para as universidades. Além disso, conservação e restauro na Escuelas foi agrupado com os programas de artes, como música, dança, cerâmica, design, etc, o que mostra quão pouco os juristas sabem sobre o nosso campo. Estamos ainda muitas vezes rotulados no pacote das artes e ofícios! Apesar de seu tamanho, a Espanha tem relativamente poucas associações que trabalham, nenhum a nível nacional, o que pode explicar porque os conservadores não são ainda tidos em conta, como deveriam ser.
Além disso, no outro lado da Europa, a Escola dinamarquesa de Conservação foi recentemente se fundiu com outras escolas de Belas Artes, Arquitetura e Design. Durante a fusão, a conservação poderia ter sido relegado para uma posição secundária se não tivesse sido  as muitas vozes que reconheceram sua importância, e ajudou a colocá-lo na sua posição merecida.
Mais do que nunca, é importante ter uma voz. Ser um membro de nossas associações e usando nossa sociedade no caminho certo, tendo a voz como base. Claro que existem algumas associações que são latentes, ineficazes ou vivem no passado, mas na verdade é nosso dever como membros de lhes dar um empurrão e exigir mais delas. Nós não fazemos a associação, a associação que nos faz.
Rui Bordalo,Editor Executivo

sábado, 16 de julho de 2011

Travessia

Travessia

Milton Nascimento

Composição: Milton Nascimento / Fernando Brant
Quando você foi embora fez-se noite em meu viver
Forte eu sou mas não tem jeito, hoje eu tenho que chorar
Minha casa não é minha, e nem é meu este lugar
Estou só e não resisto, muito tenho prá falar
Solto a voz nas estradas, já não quero parar
Meu caminho é de pedras, como posso sonhar
Sonho feito de brisa, vento vem terminar
Vou fechar o meu pranto, vou querer me matar
Vou seguindo pela vida me esquecendo de você
Eu não quero mais a morte, tenho muito que viver
Vou querer amar de novo e se não der não vou sofrer
Já não sonho, hoje faço com meu braço o meu viver
Solto a voz nas estradas, já não quero parar
Meu caminho é de pedras, como posso sonhar
Sonho feito de brisa, vento vem terminar
Vou fechar o meu pranto, nâo vou querer me matar

sexta-feira, 15 de julho de 2011

A maneira politicamente correta

em santa catarina os professores da rede pública são tratados á bala é um absurdo sua eminencia raimundo colombo sempre se orgulhou de ser filho de uma professora vendeu bem sua imagem de homem simples homem que sabe ouvir as pessoas bom administrador e outras tantas mentiras
local da imagem - ALESC foto escandiuzzi públicada no tijoladas2.blogspot.com

Psicopata - corra...


A Psicopatia, também conhecida como Sociopatia, tem sido associada ao protótipo do assassino em série, porém, nem todos os assassinos são psicopatas e nem todos os psicopatas chegam a ser assassino, ou mesmo fisicamente violentos!
Importa desmistificar esta ideia, porque podemos estar a lidar diariamente com um psicopata, sem termos a noção que aquela pessoa está realmente doente e que afinal, todas as intrigas, confusões, desacatos, mentiras e mau-estar causados pelo mesmo, não são apenas fruto de “mau feitio”. Há pessoas que só se apercebem que têm lidado de perto com um psicopata, momentos antes de uma fatalidade lhes acontecer, nomeadamente o seu homicídio.
Embora esta doença seja mais comum no homens, também é possível encontrar mulheres sociopatas.
Os primeiros sinais começam a tornar-se mais evidentes a partir dos 15 anos de idade, embora se possam reconhecer algumas atitudes que apontem neste sentido em idade mais tenra. Eis então os sintomas principais que um psicopata apresenta:
Ausência de Culpa: Nunca sente arrependimento, nem remorsos. Os outros é que são os culpados de tudo o que acontece de mal e vive com a certeza absoluta que nunca erra, nem errou. Não teme a punição por ter a certeza que tudo o que faz tem um propósito benéfico, (para ele, claro!), embora tenha a noção de que os seus actos são anti-sociais.
Quando é denunciado, recusa a reabilitação ou qualquer tratamento e na impossibilidade de fugir, simula uma mudança de carácter, para mais tarde voltar aos padrões comportamentais que lhe são característicos e até, vingar-se de quem o tentou ajudar!
Mestres da Mentira: Para eles a realidade e a ilusão fundem-se num só conceito pelo qual regem o seu mundo. São capazes de contar uma mentira como se estivessem a descrever detalhadamente uma situação real. Não mentem apenas para fugirem de uma situação constrangedora, mas pura e simplesmente porque não sabem viver sem mentir.
Manipulação e Egoísmo: Não tem a noção de bem comum. Desde que ele esteja bem, o resto do mundo não lhe interessa. O psicopata é um indivíduo extremamente manipulador que usa o seu encanto para atingir os seus objectivos, nunca pensando nas emoções alheias. Não reconhece a dor que provoca nos outros e por isso, usa as pessoas como peões, objectos que pode pôr e dispor conforme lhe convêm. Manifesta facilidade em lidar com as palavras e convencer as pessoas mais vulneráveis a entrarem no “jogo” dele.
Querem controlar todos os relacionamentos, impedindo que familiares e amigos confraternizem paralelamente, sem a sua presença. Para tal recorrem as esquemas, intrigas e claro, ao seu charme para se fingir amigo.
Inteligência: O QI costuma ser acima da média. Há casos de psicopatas que conseguem passar por médicos, advogados, professores, etc, sem nunca terem frequentado uma universidade! São peritos no disfarce, excelentes auto-didactas e fazem-no na perfeição.
- Ausência de Afecto: Não são pessoas afectuosas com o próximo e enquanto pais, não são do género de “dar colo” aos filhos. Usam os filhos como “marionetas”, em função dos seus próprios interesses, não respeitando as suas escolhas, quer a nível pessoal, quer profissional! Baseia os seus “métodos educativos” na humilhação e chega a ser totalmente negligente para com os seus.
Impulsivo: Devido ao défice do superego, não consegue conter os seus impulsos, podendo cometer toda a espécie de crimes, friamente e sem noção de culpa. Costuma fintar até o teste do polígrafo, porque o seu ritmo cardíaco não se altera quando profere mentiras e nem quando comete crimes.
Isolamento: Gostam de viver sós e quando vivem com outros, querem liderar o grupo, mesmo que para isso destrua uma família inteira.
Existem mais sintomas que denunciam a Psicopatia e, após a leitura deste texto, até pode ser que reconheça alguns destes sinais em familiares seus e pessoas que lhe são próximas. Para um conhecimento mais detalhado desta doença, recomendo a leitura deste artigo.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

iminente eminencia

a greve dos mestres da escola pública de santa catarina revela o descaso com a vida humana o mestre se mostra desde os tempos   do jardim de infância ele é sempre aquele colega mais querido sempre presente amoroso responsável em fim um cdf  muitas vezes temos problemas com seu excesso de zelo no entanto  se nasce mestre ou professor não importa a cadeira ele é sempre o mesmo grave e solene todavia esta greve é absurda é um prejuízo muito grande as perdas  imateriais são irreparáveis crescimento econômico sem educação não existe reduzir a criminalidade menos ainda é uma utopia estas crianças que estão fora da sala de aula correm risco iminente é um absurdo uma monstruosidade eminencia ops coloque a pontuação onde couber e a revisão ortográfica credite ao sistema do avanço progressivo

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Rato na Sacristia


Texto públicado em http://tesourobibliografico.wordpress.com/
Sobre Márcia Rodrigues

Bibliotecária, interessada em bibliotecas, acervos históricos/especiais/raros, história do livro, futuro do livro, inovações tecnológicas.

O Códice Calixtino, ou Codex Calixtinus, um livro do século XII de valor incalculável, desapareceu da Catedral de Santiago de Compostela, em Espanha. O manuscrito estava guardado numa caixa forte no arquivo da catedral e o seu desaparecimento apenas foi reportado esta terça-feira. Este crime já é considerado um dos mais graves cometidos contra o património histórico e artístico.

A polícia já está a investigar o caso e segundo informou Miguel Cortizo, delegado do governo na Galiza, não existem sinais de arrombamento da caixa forte onde se encontrava o valioso manuscrito, o mais antigo e completo dos livros da catedral, considerado a jóia da identidade galega. O “El País” avança que foram encontradas as chaves da caixa forte ainda colocadas quando se descobriu o desaparecimento do Códice, o que torna o caso ainda mais misterioso, tendo em conta que o acesso ao arquivo da catedral é restrito. Apenas cinco ou seis pessoas podem circular naquele espaço e apenas três, emtre elas o cónego José María Díaz tem acesso livre ao arquivo. Já foram todos interrogadas pelas autoridades e nenhum foi considerada suspeito.

Aquele que é definido como o primeiro e mais célebre guia para peregrinos foi mostrado pela última vez há cerca de dois meses a elementos do Ministério da Cultura. Quando na terça-feira os responsáveis do arquivo não encontraram o Códice Calixtino, e como o cofre onde estava não apresentava sinais de arrombamento, não foi colocada de imediato a hipótese de roubo. Depois de o livro não ter sido localizado nem ter sido encontrada qualquer pista sobre o paradeiro, a polícia foi alertada.

“O melhor que pode acontecer é que o Códice esteja em mãos de alguém que conheça o seu valor incalculável porque assim temos a certeza que não o maltratará”, explicaram as autoridades ao “El País”, acrescentando que todos os meios estão a ser disponibilizados, estando também a Brigada Central do Património Histórico a ajudar à investigação.

Sem seguro

O cónego José María Díaz, revelou ao "El País" que o livro valioso, já apontado por muitos especialistas como o mais importante de Espanha, carece de um seguro próprio. O pároco explicou que existe um seguro geral para a Catedral mas não se sabe ainda se cobrirá o exemplar roubado. Até hoje, o Códice Calixtino apenas tinha saído do monumento, mas nunca de Santiago da Compostela, em duas ocasiões e apenas por poucos dias, para duas exposições, a última em 1993. Depois disto, a Catedral optou por expôr uma reprodução da obra, protegendo a original na caixa forte. José María Díaz contou que há uns anos o Códice foi solicitado para uma exposição fora da Galiza mas não viajou porque o seu seguro ascendia os mil milhões de pesetas.

Especialistas citados pelo “El Correo Gallego” consideram que a obra já se encontra fora de Espanha, podendo tratar-se de um roubo realizado por um grupo contratado por algum coleccionador ou traficante de objectos desde género. Neste sentido, Miguel Cortizo contou que já foram activados os protocolos europeus, de forma a controlar os mercados onde este tipo de obras podem ser comercializadas.

Carlos Villanueva, catedrático da Universidade de Santiago de Compostela e estudioso destas obras, afirmou que o livro tem um valor “imenso”, difícil de estabelecer caso a obra fosse leiloada. O académico considera que o livro é possivelmente o original (ou pelo menos o melhor dos exemplares) do Codex Calixtinus, o primeiro guia do Caminho de Santiago, que foi encomendado pelo Papa Calixto II ao sacerdote francês Aymeric Picaud.

O Códice Calixtino descreve pela primeira vez os detalhes de várias das rotas do Caminho, com informação sobre alojamento, zonas a visitar e património e objectos de arte que podem ser conhecidos. Um relato que, nove séculos depois, continua nos dias de hoje a ser citado e ainda serve de referência para alguns dos locais percorridos pelos peregrinos.

Elaborado entre 1125 e 1130 - depois publicado em 1160 - o texto ficou maior do que o inicialmente previsto, acabando por contar com participações dos principais escritores, teólogos, fabulistas, músicos e artistas da época, tendo que ser dividido em cinco livros e vários apêndices, entretanto reunidos, já no século passado, num único volume.

A ministra da Cultura, Ángeles González-Sinde, já expressou a sua confiança nas autoridades e acredita que a obra vai ser recuperada. “Felizmente, a Brigada do Património Nacional tem dado resultados muito bons em casos similares”, disse, lembrando o caso dos documentos roubados da Biblioteca Nacional e de outras bibliotecas e que foram depois recuperados.

Fonte: Público.

Oficina de Encadernação em Porto Alegre.

Oficina de Encadernação em Porto Alegre.
Deixe o frio de lado e mãos à obra, Poa cidade que adoro, esta regelante, adoro mate, um  bom churrasco, mas bah tchê que saudades de Porto! Tem a rua da praia sem praia, casa Mario Quintana e o Internacional. Os gauchos são belíssimos e as chinocas fandangueiras. Deu pra ti Floripa vou pra Porto báh tri legal...irei  visitar os sebos, o parque da Redenção, o chalé da Praça XV e fazer a oficina de encadernação, só para manter a forma. Vamos nessa! "Vire o mate companheiro...lá, lá..."'
[oficina%2520de%2520encaderna%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520c%25C3%25B3dex%255B11%255D.jpg]
 saiba como participar - http://www.clubedajoaninha.com/

Olé!

A festa atrai milhares de turistas a Pamplona  Foto: EFE

http://youtu.be/KsZBzuU8jHw

Quando penso em Espanha, sinto cheiro de açafrão, ouço gemidos de gozo e de dor, imagino el gran fidalgo de la mancha na cena do décimo canto, escuto a música de D. Alfonso - o sábio, leio as deliciosas cronicas do Janer e seu encanto pelas Espanhas. Sim são tantas em tão pouco espaço.
Espanha sem touradas é o mesmo que missa sem vinho, bordéu sem putanas,casa sem livros, eu sem voce... Avante que el toro te espera. Há quem prefira aguardar a morte sentado outros correm ao encontro desta certeza absoluta, correm para abraça-la no festival de San Fermín em Pamplona.
Nestes dias deliciosamente gélidos aqui no sul acompanho com entusiasmo o Festival de San Fermín, tocendo pelo touro. Força versos ingenio... olé!!!