terça-feira, 2 de agosto de 2016

Tintas Ferro-Gálicas - como fazer.


Existiam várias receitas para fazer tinta para escrita na Idade Média, com uma larga variedade de ingredientes e processos. A tinta ferro-gálica é um dos dois tipos mais comuns de tinta usada na época, e a mais usada a partir do século XII. Este nome deriva diretamente dos principais ingredientes usados para a sua feitura: o sulfato de ferro (II) e o ácido tânico que vem da noz-de-galha. A tinta de cor negra resulta da reação química destes dois ingredientes numa base aquosa, aos quais se junta a goma arábica para espessar a tinta.

As nozes de galha (ou bugalhos) dos carvalhos usadas para fazer a tinta resultam da resposta da árvore ao ataque de um organismo invasor, neste caso pela postura de ovos de uma vespa na árvore.

A larva da vespa. Existiam várias receitas para fazer tinta para escrita na Idade Média, com uma larga variedade de ingredientes e processos. A tinta ferro-gálica é um dos dois tipos mais comuns de tinta usada na época, e a mais usada a partir do século XII. Este nome deriva diretamente dos principais ingredientes usados para a sua feitura: o sulfato de ferro (II) e o ácido tânico que vem da noz-de-galha. A tinta de cor negra resulta da reação química destes dois ingredientes numa base aquosa, aos quais se junta a goma arábica para espessar a tinta. A vespa desenvolve-se e quando está totalmente formada faz um pequeno furo no bugalho por onde escapa. Para trás deixa o seu "casulo" vegetal cheio de ácido tânico (resultado da sua formação).
A goma arábica é uma resina natural extraída das acácias, é solúvel em água e tem uma cor dourada.O sulfato de ferro (II) era conhecido por vários nomes, como vitriolo, copperas ou caparrosa. Atualmente o termo "copperas" distingue-se entre "green" (verde) copperas para o sulfato de ferro, e "blue" (azul) copperas para o sulfato de cobre.Uma receita para tinta ferro-gálica: Toma canada e meia de água de chuva e deita-lhe dentro um arratel de galha em bocados, e faz ferver isto a fogo lento até que se reduza a metade. Lança-lhe então duas onças de goma arábica pulverizada que terás primeiro dissolvido em vinagre em quantidade suficiente. Junta-lhe depois disto oito onças de caparrosa ou vitriolo romano, deixa-a ferver mais um quarto de hora e depois de esfriar retira por inclinação e guarda-a. (Segredos Necessários para os Officios, etc, 1802). Outra receita: Toma uma onça de galha batida, três ou quatro onças de goma arábica, junta-as num recipiente ao fogo com água de chuva, e quando a goma estiver quase evaporada despeja-a através de um pano e junta-lhe metade de uma taça de vitriolo em pó. (A Booke of secrets, 1596).