terça-feira, 31 de maio de 2011

OFICINA DE ENCADERNAÇÃO - Ora et labora.

Proposta - oficina de encadernação capa dura. Gravação em hot stamp.

Quando - 18 de junho 2011

Local - r. Artista Bittencourt n. 190 próximo ao empório dos varais.

Contato - infolio@hotmail.com

Quanto - R$ 100,00

Material incluso - papel polém,cartões, cola com ph neutro.

Horário : 10h ás 12h dás 14h ás 17:30h

Máximo de inscritos - cinco pessoas.

Todos os dias surge mais e mais artistas do livro. Pessoas que aprenderam um simulacro de encadernação. O resultado não é diferente, cortes imprecisos, cantos com forração desfiada, livro solto, costura frouxa, em fim um atentado contra as regras da arte e do bom senso estético. Não basta ficar fazendo diletantismo academicoide insosso e vazio. A encadernação é um OFICIO que tem sua própria guilda e o seu saber fazer. Não  basta agitar as maozinhas para o alto e dizer  - faço cadernos, bravo!
Sem uma doze extra de trabalho e estudo nada se constroi. Não se encaderna por osmose.

Por tanto ORA et LABORA.







Cadernos para acompanhar boas idéias.

Compartilhar produtos feitos apartir de processos artesanais com  excelente acabamento, feitos de maneira sustentável,  reutilizando  aparas de papel, catálogos antigos de papel de parede. O lixo  é quase zero, as pequenas aparas do refilo são separadas e enviadas para coleta seletiva. Faz um bom tempo que dexei de lado a produção de  papel reciclado, é um custo muito caro, a  qualidade não é excelente, e o principal;  o desperdício de água e o resíduo. Não tenho como tratar a água que sobra da produção do papel artesanal  - rica em cloro e soda caústica.
Reulitizar é a fórmula básica,  evito desperdício de  água, e não  lanço dejetos quimicos no meio ambiente. Reutilizar é mais   economico e  partilhar faz bem para o coração.
Todas as imagens foram feitas por Daniel Guilhamet



Reutilização de forração de sofá

Caderno em corino


Cadernos em Copta - miolo de aparas gráficas, reutilização de revistas.

Caixa para acondicionamento de documentos.
Acervo Gustavo Kuerten

Acervo Tom Wilde



Caderno com papel marmorizado, caderno em Copta reutilizando caixa p/ acondicionamento de  ovos, caderno em Copta com placa de computador


Caixa para acondicionar documentos.

AcervoTom Wild




segunda-feira, 23 de maio de 2011

O que é a edição princips - Texto de Márcia Rodrigues


Tipos de metal em uma forma, no Plantin-Moretus Museum, na Antuérpia/Bélgica.





 Márcia Rodrigues










A utilização da expressão "edição princeps" é muito comum no universo dos livros raros. Mas o que realmente isto significa?
Primeira edição.
A primeira edição de um livro é o primeiro grupo de livros impressos de um título específico.
Nos velhos tempos da impressão por tipos móveis, o impressor organizava os tipos para um conjunto de páginas em uma armação de madeira denominada forma tipográfica. Após, colocava a forma em uma prensa e imprimia o número suficiente de páginas que corresponderia ao número planejado de cópias do livro. Por exemplo: se em uma primeira impressão tivesse sido previamente estabelecido que seriam impressos 800 exemplares, o impressor organizaria seus tipos na forma e imprimiria 800 vezes a mesma página. Para cada página do livro a ser impresso este trabalho deveria ser repetido: desmontava-se a forma da página anterior e compunha-se a próxima página com outros tipos, para realizar a impressão de mais 800 páginas, e assim sucessivamente, até à última página do livro.
A impressão com tipos de metal era cara, ocupava espaço e os impressores raramente se mantinham de pé na forma tipográfica durante muito tempo, já que era necessário realizar outros trabalhos. Assim, a segunda impressão de um livro era quase sempre uma segunda edição, porque os tipos tinham que ser criados de novo.
É muito comum encontrar nos livros modernos a expressão "primeira impressão" ou "primeira tiragem". Estes termos somente podem ser aplicados aos livros contemporâneos. Eles são o resultado dos avanços tecnológicos na área de impressão pós século XIX, como a estereotipia e a litografia, que tornaram possível armazenar as formas tipográficas e criar reimpressões idênticas de livros meses ou anos depois de sua primeira impressão.
Edição princeps.
Uma edição princeps torna-se ainda mais incomum do que uma simples primeira edição por se tratar de uma primeira impressão de uma obra originalmente manuscrita.
A título de exemplo, pode-se citar os poemas A Ilíada e a A Odisséia, de Homero, que foram transmitidos oralmente e após registradas sob a forma de manuscrito muito antes do invento de Gutenberg. Sua primeira impressão surgiu em Florença em 1488, editada por Demetrios Damilas.
Obras, em grego, de Homero. Inclui A Ilíada e A Odisséia. 1488.
Assim, a maioria das edições princeps surgiram no primeiro século após a invenção da imprensa.
Na Wikipedia é possível encontrar uma listagem de edições princeps, incluindo textos gregos, latinos e traduções.
Ao longo do tempo o termo foi se extendendo, e atualmente é empregado para designar as primeiras edições não só de originais manuscritos, mas de documentos legais e trabalhos importantes em determinadas áreas do conhecimento.

Continue a ler em  - Tesouro Bibliográfico
Fontes: Wikipedia / The Cataloguer's Desk.



O povo do Livro - Etiopia e seus belos livros.





El códice etíope se guardaba en un mahdar, donde entraba deslizándose: se sujetaba por la lengüeta que formaba el sexto costado del paralelepípedo del estuche y cuyo cabo se hacía entrar en el interior cuando el estuche estaba provisto de un difat.
Il difat era una tapadera que servía para cerrar, recubriendo la entrada del mahdar, y estaba sujeto por dos o tres correas dobles de marroquín reunidas en un grueso nudo. A ambos lados del difat, una embocadura facilitaba la entrada de una correa de piel blanca que permitía mantener suspendido el códice en la biblioteca o transportarlo enlazando la correa al cuello. En realidad, pocos manuscritos presentaban este sofisticado dispositivo, que se reservó únicamente para libros de lujo, pero que era muy útil en Etiopía, donde los techos raras veces son impermeables a la lluvia, falta ventilación y limpieza en las casas y donde abundan las humaredas, el polvo y toda clase de gusanos.

beba na fonte -  http://www.artesdellibro.com.mx/2011/04/una-estanteria-etiope.php


O povo do Livro - os primeiros codex.


Saiba mais em - http://www.galenfrysinger.com/ethiopia.htm
 

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Técnica de Presevação dos Moldes de Cera.

O que fazer quando somos visitados por seres extra-terrestres? Ler me resulta na única solução.
As máscaras mortuárias preservadas são imagens relativamente fortes, porém menos que a visita de um ET em plena sexta-feira. Como conservar preventivamente estas máscaras, como podem estas máscaras contribuir para o avanço da ciência, o que fazer quando nos deparamos com sombras ou reflexos de tempos idos?  Da repetição de um padrão conhecido - manchas, fungos, marcas do tempo adposo, o que fazer quando este extranho objeto nos chega às mãos.
O sentimento imediato é de repulsa, asco. Um passo à frente, lavo as mãos e visto as luvas, respiro...
Observo criteriosamente o ET e deixo sentar o pó, tomo a taça até o fim.
Leia mais em

"Recommendations for the Preservation of Wax moulages at Universities and Hospitals and in Museums and other Collections"

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Um século em dez fotografias.

Confira!
Segue link de uma Foto-reportagem realizada por alunos de Jornalismo da UFSC, comparando 10 paisagens das fotos clássicas da "antiga cidade" e como está atualmente.

ESCOLHA A FOTO E PASSE O MOUSE EM CIMA
http://www.cotidiano.ufsc.br/swfs/fotos.swf

Paulo muito obrigada  !!


Oficina de Encadernação -





OFICINA DE ENCADERNAÇÃO

saiba mais em Encadernação Japonesa sem delongas, aqui no blog.










Saiba mais no link na Câmara Catarinense do Livro


Feira do Livro de Florianópolis - Local Largo da Alfandega.
Programação
21/05 (sábado)


10 horas: Oficina de Encadernação – Costura Japonesa – com Kézia Lenderly
               Quanto - Grátis
                Número de vagas - 10 por ordem de chegada.
                Tempo -  15min. este é o tempo para vc fazer 1 bloquinho.
                Material - P/ um bloquinho oferecido pelo Atelier.

10:30 horas - Grupo do Boi de Mamão do Itacorubi

14 horas – Grupo de Dança do Centro Educacional N. Sra. De Lurdes - Profa. Aline Guarniere

15 horas: Mesa redonda com o tema: O ESCRITOR NAS ESCOLAS, NAS LIVRARIAS, NA MÍDIA E NA INTERNET.

Escritores confirmados: Deonísio da Silva, Alcides Buss e Artêmio Zanon

16:30 horas: Teatro - Grupo Letras no Jardim – Encenando O Roubo da Baleeira

História de Franklin Cascaes







sexta-feira, 13 de maio de 2011

A humanidade consegue viver sem teses. Sem papel higiênico já é mais complicado.

Leia o post, "Sobre teses e papel higiênico."

Frase do dia -  Papel higiênico, meu caro, é muito mais necessário que uma tese acadêmica. A humanidade consegue viver sem teses. Sem papel higiênico já é mais complicado.

Não consigo parar de rir.....é tão real quanto absurdo....

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Cadernos - Caixas - Blocos em espiral - etc

Limões da Ilha de Santa Catarina I



Movimento - Passe Livre -



Vista de Desterro - Victor Meirelles

Pão por Deus

Urb

Vista de São José SC

Joaca

Abstração

Acabamento

Mascote - sempre alerta!
























Limões da Ilha de Santa Catarina II