quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Manual do perfeito idiota latino americano

Ler para viver...


O calor se torna insuportável, Florianópolis é um tédio, fila, transito, e turistas. Não entendo a mentalidade dessa gente, adoram uma fila, turista é sinônimo de uma longa bicha, lenta e suarenta onde quer que voce vá lá esta ela, serpenteando e fedendo a sovaco. Para desopilar um pouco e fugir desse ambiente pouco hospitaleiro estou lendo o Manual do perfeito idiota latino americano, faz bem para o espírito, pelo menos posso desfraldar a bandeira do riso.




Eis a descrição do idiota na apresentação, redigida pelo escritor peruano Mário Vargas Llosa, à obra Manual do perfeito idiota latino-americano, de Plínio Apuleyo Mendoza, Carlos Alberto Montaner e Álvaro Vargas Llosa. 

O livro traça, com humor, o perfil do sujeito que freqüentou universidade e, depois, passou a militar nos sindicatos, nos partidos, nas ongs e outras associações que se dizem sociais, bancadas com o nosso dinheiro,  quebra com os mitos e heróis da America Latina. Segundo o autor a idiotice é deliberada, "pura preguiça intelectual, apatia ética e oportunismo civil".
Os clássicos da biblioteca do perfeito idiota latino americano que é formada  por um conjunto de frases - clichê - meia dúzia de títulos que ele, diz ter lido. Fato incrível pois o ato de ler implica em reflexão. Segundo os autores o idiota latino-americano é um bom leitor -"não lê da esquerda para direita como os ocidentais e nem da direita para a esquerda como os orientais, no entanto conseguem ler esquerda para esquerda".
Afinal o que lê o idiota? O livro cita alguns clássicos entre eles o Livro entre os idiotas é As veias abertas da America Latina, seguido pela A história me absolverá, A guerra de guerrilhas, Para ler o pato donald, Desenvolvimento e dependencia da America Latina, A teologia da libertação.

Estou dando boas risadas o texto é ágil e divertido, porém cuidado voce corre o risco de esbarrar com algum empedernido defensor da "democracia Cubana" esse tipo não tem humor, já passou dos quarenta, sua profissão é berrar palavras de ordem - Cuba si, Cuba si yank no, viva a reforma agrária viva a revolucion...Empinando um copo de cerveja e pedindo vida longa ao ditador..




Nenhum comentário: