segunda-feira, 23 de maio de 2011

O que é a edição princips - Texto de Márcia Rodrigues


Tipos de metal em uma forma, no Plantin-Moretus Museum, na Antuérpia/Bélgica.





 Márcia Rodrigues










A utilização da expressão "edição princeps" é muito comum no universo dos livros raros. Mas o que realmente isto significa?
Primeira edição.
A primeira edição de um livro é o primeiro grupo de livros impressos de um título específico.
Nos velhos tempos da impressão por tipos móveis, o impressor organizava os tipos para um conjunto de páginas em uma armação de madeira denominada forma tipográfica. Após, colocava a forma em uma prensa e imprimia o número suficiente de páginas que corresponderia ao número planejado de cópias do livro. Por exemplo: se em uma primeira impressão tivesse sido previamente estabelecido que seriam impressos 800 exemplares, o impressor organizaria seus tipos na forma e imprimiria 800 vezes a mesma página. Para cada página do livro a ser impresso este trabalho deveria ser repetido: desmontava-se a forma da página anterior e compunha-se a próxima página com outros tipos, para realizar a impressão de mais 800 páginas, e assim sucessivamente, até à última página do livro.
A impressão com tipos de metal era cara, ocupava espaço e os impressores raramente se mantinham de pé na forma tipográfica durante muito tempo, já que era necessário realizar outros trabalhos. Assim, a segunda impressão de um livro era quase sempre uma segunda edição, porque os tipos tinham que ser criados de novo.
É muito comum encontrar nos livros modernos a expressão "primeira impressão" ou "primeira tiragem". Estes termos somente podem ser aplicados aos livros contemporâneos. Eles são o resultado dos avanços tecnológicos na área de impressão pós século XIX, como a estereotipia e a litografia, que tornaram possível armazenar as formas tipográficas e criar reimpressões idênticas de livros meses ou anos depois de sua primeira impressão.
Edição princeps.
Uma edição princeps torna-se ainda mais incomum do que uma simples primeira edição por se tratar de uma primeira impressão de uma obra originalmente manuscrita.
A título de exemplo, pode-se citar os poemas A Ilíada e a A Odisséia, de Homero, que foram transmitidos oralmente e após registradas sob a forma de manuscrito muito antes do invento de Gutenberg. Sua primeira impressão surgiu em Florença em 1488, editada por Demetrios Damilas.
Obras, em grego, de Homero. Inclui A Ilíada e A Odisséia. 1488.
Assim, a maioria das edições princeps surgiram no primeiro século após a invenção da imprensa.
Na Wikipedia é possível encontrar uma listagem de edições princeps, incluindo textos gregos, latinos e traduções.
Ao longo do tempo o termo foi se extendendo, e atualmente é empregado para designar as primeiras edições não só de originais manuscritos, mas de documentos legais e trabalhos importantes em determinadas áreas do conhecimento.

Continue a ler em  - Tesouro Bibliográfico
Fontes: Wikipedia / The Cataloguer's Desk.



Nenhum comentário: