Encadernação Artística

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Estrutura cruzada


A encadernação de livros restaurados exigem muito cuidado e habilidade do encadernador. Escolher o material a ser empregado - linha, cera clarificada, tecido 100% algodão, folha de rosto em papel neutro e principalmente não utilizar cola. O emprego da cola é tabu. O cuidado é dobrado no manuseio, durante a costura - um livro restaurado é muito frágil. 
Pratiquei desde o início do ano o modelo de costura da estrutura cruzada, empregado até o século XVI. O  livro é costurado em cintas alternadas e posteriormente entrelaçadas, este modelo foi redescoberto por Carmencho Arregui quando trabalhou  na restauração dos livros que sobreviveram a enchente do Arno em 1966. Em seu sitio   Carmencho Arregui explana com muita clareza e generosidade os modelos.  
Quando pratiquei os modelos percebi o quanto são flexíveis,  sem cola na lombada, as  folhas de rosto costuradas, as capas presas, dorso solto ligeiramente vinculado ao fole, são pequenos detalhes que passam desapercebidos. No entanto são elementos decisivos para conservação do livro.
A não utilização de cola é o principal no meu trabalho de encadernação de livros restaurados, porém encontro muita dificuldade quando as folhas são separadas e montadas em carcelas. É terrível pois não há como compensar a diferença entre papel da carcela e  a página do documento. Caos - não posso utilizar as estruturas cruzadas. 

2 comentários:

Evandro Jair Duarte disse...

Muito interessante essa técnica.
Você vai iniciar uma turma para o ano que vem? É isso?
Abraços.

Kézia Tokelau disse...

Olá Evandro, Não tenho nada programado p/ o ano que vem ... Estou aplicando a técnica na costura de restaurados e o resultado é muito bom. Superior as costuras estilo escapulário ou dente de cachorro...